Meteorologistas antecipam tendência de chuvas abaixo da média em todo o Ceará.



A Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) divulga, no dia 18 de janeiro, a primeira previsão de chuvas para o próximo trimestre - fevereiro, março e abril - de 2019. O órgão não antecipa os estudos climatológicos, mas outras instituições meteorológicas parceiras revelam que a tendência é de precipitações abaixo da média.
 
Os estudos com base em modelos meteorológicos são preocupantes pois a maior parte do território cearense já enfrenta sete anos de chuvas abaixo da média. E é justamente no sertão onde estão localizados os reservatórios que abastecem os centros urbanos do interior e a Região Metropolitana de Fortaleza (Castanhão, Orós, Banabuiú, por exemplo), onde as chuvas estão mais escassas.

Acerca da formação do El Niño (aquecimento das águas superficiais do Oceano Pacífico), fenômeno que influência na redução de chuvas no Semiárido nordestino, o meteorologista observou: "Está praticamente caracterizado, mas será fraco e vai trazer redução de chuvas para a região em março e abril".

A climatologista do Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (Cptec/Inpe) do Ministério da Ciência e Tecnologia, Alice Macedo, observou que o trimestre (fevereiro, março e abril) deverá ser marcado por chuvas abaixo da média histórica e anunciou que, no próximo dia 17, o órgão vai atualizar a previsão de chuvas para a região Nordeste. "Os estudos indicam até o momento chuvas abaixo do normal", pontuou.

Alice Macedo esclareceu que há forte tendência de formação do El Niño. "O fenômeno ainda não está presente, pois ainda não houve o acoplamento dos ventos, uma resposta ao aquecimento das águas do Oceano Pacífico", frisou a especialista.










Comentários